Qual é o melhor material para roupa interior? | Miss Mary of Sweden
Passar para o conteúdo principal
Refunded Returns

Qual é o melhor material para roupa interior?

Quando compramos um soutien, a escolha prende-se frequentemente com o suporte e a sensação que oferece, bem como o visual que proporciona. Acontece, porém, que muitas vezes ignoramos o material de que é fabricado, apesar de influenciar o conforto, a sustentação e a durabilidade. O presente artigo é o nosso guia de têxteis para roupa interior.

Hoje em dia, as opções de materiais para roupa interior são quase infindáveis. No presente artigo vamos abordar as vantagens e desvantagens dos materiais mais comuns na confeção de roupa interior e por que razões esses materiais são usados exclusivamente ou combinados com outros.

"Todas as fibras têxteis têm propriedades distintas que apresentam vantagens e desvantagens."


Um soutien é constituído por muitas partes diferentes e materiais distintos. Em conjunto, modelam, suportam e proporcionam o bem-estar desejado.

As fibras têxteis dividem-se em dois grupos, as fibras naturais e as fibras não naturais. As fibras naturais podem ser de origem vegetal (por exemplo, algodão, linho e cânhamo) e de origem animal (por exemplo, lã e seda).  Entre as fibras não naturais distinguem-se as fibras regeneradas de matérias primas naturais (por exemplo, viscose, bambu, modal) e as fibras sintéticas obtidas de polímeros orgânicos sintéticos derivados do petróleo. O poliéster, o elastano e a poliamida são exemplos de fibras sintéticas.

Todas as fibras têxteis têm propriedades distintas que apresentam vantagens e desvantagens. Não existe uma fibra têxtil que seja a melhor para todos os tipos de roupa interior. Um soutien é composto por uma variedade de materiais diferentes, uma vez que as diferentes partes do soutien têm funções diferentes e, portanto, exigem materiais com propriedades distintas.

ROUPA INTERIOR DE ALGODÃO E DE OUTRAS FIBRAS NATURAIS
As fibras naturais são provenientes da natureza e estão divididas em dois grupos principais: as fibras de origem vegetal - como o algodão, o linho e o cânhamo - e as fibras de origem animal, como a e a seda.  As fibras naturais não precisam de ser transformadas ou alteradas. Podem ser usadas diretamente no fabrico de fios e filamentos que são depois utilizados nas etapas de tecelagem ou tricotagem para produzir tecidos e malhas.  A fibra natural mais adequada e, por conseguinte, mais utilizada na roupa interior é o algodão. O linho não é muito adequado para roupa interior, visto que encolhe e não é elástico. A roupa interior de fibra de seda - ou em seda, que é a designação do material acabado - é bonita e confortável, mas o material é difícil de cuidar e as peças são caras e frágeis.

A lã é usada em muitos tipos de roupa, incluindo vestuário interior para atividades desportivas, dado que é quente e absorve a humidade até 30 % do seu peso, sem causar a sensação de humidade no tecido. Porém, é raramente usada na roupa interior comum – por exemplo em soutiens – visto que não é propriamente fácil de cuidar e deve ser lavada a baixa temperatura.



A roupa interior em algodão é ideal para o dia a dia, pois é resistente e fácil de cuidar. Na imagem, o soutien e as cuecas Lovely Lace.

De todas as fibras naturais, o algodão é a mais adequada para roupa interior. É resistente, fácil de cuidar e tingir, durável e tolera muitas lavagens. As fibras de algodão são, de facto, mais fortes no estado molhado do que no estado seco. Não absorve odores do mesmo modo que os tecidos sintéticos (repare como algumas peças absorvem os odores quando ficam por usar durante muito tempo no guarda-roupa). O algodão é muito confortável e particularmente adequado para a pele sensível, pelo que é uma escolha óbvia para roupas em contacto com o corpo, como, cuecas, camisolas interiores, soutiens, bodies e roupa de dormir.


O soutien Broderie Anglaise é composto por 83 % algodão se considerarmos todas as partes do soutien. O tecido das copas é em 100 % algodão.

Como todas as fibras naturais, a principal vantagem do algodão é o facto de ser altamente respirável, o que o torna ideal para dias de calor. A principal desvantagem é o seu cultivo requerer muita água. A algodão absorve a humidade e mantém-se seco desde que a evaporação da humidade seja mais rápida do que a absorção pelo tecido. Por conseguinte, não é o material mais apropriado para atividades desportivas ou se transpira muito. Nesses casos, é mais aconselhável usar um soutien em tecido funcional de fibras sintéticas. Repare que as cuecas de algodão só deixam o corpo respirar se as calças que usar forem também de um tecido respirável. Comparado com as fibras sintéticas, o algodão é menos elástico. Portanto, as partes do soutien que requerem elasticidade – como, por exemplo, as costas – são fabricadas em tecidos que contêm fibras sintéticas.



O forro dos nossos soutiens é sempre em tecido de algodão, como, por exemplo, no soutien STAR.

Sugestão! Se deseja um soutien em algodão, escolha um modelo sem enchimento, visto que o acolchoamento na camada inferior das copas é em fibra sintética e, portanto, potencialmente muito quente. Em regra, o enchimento é raramente respirável, salvo se for fabricado num material funcional, como, por exemplo, o tecido Spacer. Se as copas forem forradas, certifique-se de que o forro não é em fibra sintética, mas igualmente em algodão. Se tanto a face exterior como o forro forem em tecido de algodão, as copas poderão respirar. É por isso que nos nossos soutiens em algodão o forro, quando o usamos, é sempre em algodão.

ROUPA INTERIOR DE FIBRAS SINTÉTICAS
As fibras sintéticas são obtidas através de um processo químico em que o petróleo é a matéria-prima. Existem muitos tipos de tecidos sintéticos e as áreas de aplicação são inúmeras. No âmbito da roupa interior, os tecidos sintéticos mais comuns são o poliéster, a poliamida e o elastano.




O poliéster é a fibra sintética mais popular. É resistente ao calor, mantém a estabilidade da cor, seca rapidamente, não enruga e encolhe menos do que, por exemplo, as fibras de algodão. É também mais elástico. Resistente ao desgaste, é usado frequentemente nos tecidos técnicos e em soutiens de desporto, pois não retém a humidade. As fibras de poliéster afastam a humidade do corpo, mas em vez de ficar retida no material, a humidade evapora-se, criando a sensação do tecido estar seco. 


Os soutiens de desporto são fabricados com tecidos técnicos de fibras sintéticas que não retêm a humidade. Na imagem, o soutien de desporto Exhale em 69% poliamida, 18% elastano e 13% poliéster.

As fibras de poliéster tingidas conservam melhor a cor do que, por exemplo, o algodão, o qual é suscetível de perder a cor nas lavagens. O poliéster pode formar borbotos facilmente e, por isso, é comum misturá-lo com outras fibras. Os tecidos de poliéster divergem muito uns dos outros em termos de qualidade. Muito versátil, o poliéster pode ser usado no fabrico de muitos tecidos, como, por exemplo, cetim, charmeuse, chiffon, etc.

Uma outra fibra sintética muito usada no fabrico de roupa interior é a poliamida. Esta fibra apresenta uma tenacidade muito elevada, ultrapassando todas as fibras têxteis em rama, mesmo no estado húmido. É também mais elástica do que as fibras naturais. É fácil de tratar, raramente enruga e não forma borbotos, ao contrário do poliéster e do algodão. É macia e suave em contacto com a pele, respirável e resistente à humidade e a cremes para a pele. Apresenta melhor resistência à humidade do que o poliéster, mas seca mais lentamente.


A mistura poliamida-elastano é muito apreciada na confeção de roupa interior, devido ao toque suave e à elasticidade do tecido. Na imagem, a cueca Cooling em 83% poliamida e 17% elastano.

Para beneficiar das melhores propriedades de cada fibra, é frequente usar na composição dos tecidos uma combinação de fibras de poliéster e de poliamida. Obtém-se então um produto com elevada tenacidade e inúmeras vantagens.


Conjunto soutien Summer com armação e cueca em tecido charmeuse e renda guipura de poliamida, poliéster e elastano. O poliéster e a poliamida são conhecidos pela solidez das cores e por não desbotarem nas lavagens.

O elastano é uma fibra polimérica utilizada em pequenas proporções para conferir aos tecidos uma elasticidade duradoura sem deformação do material têxtil. Isto explica a ampla utilização do elastano nos tecidos previstos para serem usados justos ao corpo preservando o conforto, como, por exemplo, os tecidos para as costas dos soutiens.


O tecido com motivos em forma de losango na cueca e no soutien Diamond é composto por uma mistura de algodão e licra de alta qualidade que proporciona um corte elástico muito confortável. A base das copas é em 100 % algodão. Considerando todas as partes em conjunto, o soutien é composto por 34% poliamida, 30% algodão, 20% poliéster, 16% elastano.

Nos EUA, o elastano é conhecido por spandex, mas na Europa usa-se a denominação elastano. Lycra e Dorlastan são marcas registadas de fibras de elastano. A licra pode ser estirada até seis vezes o seu comprimento e recuperar o comprimento inicial sem perder elasticidade.

ROUPA INTERIOR DE FIBRAS REGENERADAS
Tal como as fibras sintéticas, as fibras regeneradas são fibras não naturais obtidas de matérias-primas naturais através de um processo químico da celulose das árvores. O fabrico é efetuado num sistema em ciclo fechado que permite a reciclagem dos produtos químicos utilizados. Porém, a transformação da celulose em fibras têxteis é muito exigente em termos de recursos. Há também o risco de a matéria-prima ser proveniente de práticas de silvicultura não sustentável que poderão contribuir para a desflorestação. O rayon é a fibra regenerada mais antiga. É também conhecido como seda artificial, mas designação atual mais comum é viscose. A viscose muito macia e agradável, mas o processo de produção exige importantes recursos. Modal é uma outra fibra artificial fabricada a partir de fibras celulósicas extraídas da polpa da madeira. Tem uma textura suave e é ao mesmo tempo estável e resistente e não deforma. Não encolhe nas lavagens. É muito invulgar encontrar roupa interior em tecido de modal, embora a fibra seja perfeitamente adequada, por exemplo, para cuecas. Porém, o preço é bastante elevado, comparado como o algodão e o poliéster. Uma fibra regenerada que ganhou popularidade nos últimos anos é o bambu. Os tecidos de fibra de bambu são macios e respiráveis, mas tendem a perder a forma depois de algum tempo, pelo que não são muito adequados para peças que são usadas justas ao corpo. Por outro lado, são excelentes para roupa de dormir e tops.

A fim de promover o desenvolvimento sustentável, existem atualmente certificações ambientais e marcas que garantem que as fibras regeneradas são obtidas a partir de fontes sustentáveis. Um exemplo é a fibra Tencel, derivada da polpa de madeira de origem sustentável segundo processos que permitem uma rastreabilidade total. Tencel é igualmente uma marca registada da fibra regenerada liocel. A desvantagem da fibra Tencel é que é cara e, por conseguinte, menos procurada.

PORQUE É QUE SE MISTURAM MATERIAIS?
A mistura de diferentes fibras têxteis num material representa inúmeros benefícios. Por exemplo, se misturarmos fibras de poliéster com algodão, o tecido acabado adquire maior elasticidade, conserva melhor a forma e a cor e encolhe menos do que um tecido em 100 % algodão. A tendência a formar borbotos é também menor do que no poliéster puro. Um soutien tem de ser muito elástico nas costas e não deve alargar ou perder a forma. É por isso que que se incorpora elastano na maioria dos materiais que vão ser usados nas costas dos soutiens.


Num soutien em algodão, a banda das costas contém sempre elastano a fim de conservar a elasticidade. Na imagem, o soutien Lovely Lace em 61% algodão no total.

Um soutien é constituído por cerca de 35 partes diferentes, desde copas, forros e enchimentos a elásticos, frente, painéis e costas. Por esse motivo, um soutien em algodão raramente é composto exclusivamente por algodão, visto que os elásticos, as alças e as costas não são feitos em algodão puro, mesmo que o material das copas seja em 100 % algodão. A composição percentual indicada na etiqueta do soutien representa uma média baseada nos teores totais das diferentes fibras.



A mistura de poliamida e elastano é muito apreciada para roupa interior não confecionada em algodão. Vários tecidos fabricados de fibras sintéticas – como, por exemplo, cetim ou charmeuse – produzem um efeito de luxo dado ao seu atraente brilho lustroso. Na imagem acima, vemos a cueca SUMMER confecionada numa mistura de poliamida e elastano. A construção do soutien SUMMER com armação, com partes em poliéster-poliamida-elastano e copas em tecido charmeuse inelástico e renda guipura, oferece um excelente suporte ao peito.

TECIDOS & ESTRUTURAS
A partir das diferentes fibras têxteis é possível fabricar muitos tecidos diferentes com diferente textura e aspeto. Muitas mulheres adoram a sensação que um soutien em algodão para o quotidiano oferece, enquanto que outras preferem o efeito mais luxuoso e elegante que os materiais lustrosos produzem. Hoje em dia, existe roupa interior para todos os gostos. O cetim, por exemplo, é um tecido com textura apertada, lustroso no direito e mate no avesso. Pode ser fabricado de diversas fibras diferentes. Antigamente, a fibra mais comum era a seda, mas, atualmente, o cetim para roupa interior é fabricado a partir do poliéster.

"Muitas mulheres adoram a sensação de um soutien em algodão para o quotidiano, enquanto que outras preferem o efeito mais luxuoso dos tecidos lustrosos."


No soutien Rose, o tecido charmeuse na base das copas e o bordado na parte superior conferem um efeito elegante e luxuoso.

Charmeuse é um tecido acetinado inelástico com direito semibrilhante e avesso mate. Apresenta um toque agradável e a textura produz um efeito de exclusividade. É excelente para as copas dos soutiens, dado que é um tecido inelástico e estável que confere bom suporte. Tradicionalmente, o charmeuse era fabricado de seda, mas atualmente é feito a partir de fibras de poliéster.


O body Hold Me é confecionado em malha Jacquard com padrão de folhas e renda com motivos florais. Tanto a renda como a malha Jacquard são em poliamida/elastano suave.

Os tecidos Jacquard têm sempre motivos, mas não são estampados. Estão integrados no próprio tecido. Jacquard é o nome dado a uma técnica de tecelagem. Os tecidos podem ser fabricados praticamente com quaisquer fios, por exemplo, de algodão, seda, poliéster e acrílicos. Os tecidos Jacquard podem ser tecidos com fios de diferentes cores de modo a formar um padrão. Podem igualmente ser fabricados em uma única cor e criar um padrão com efeito de relevo. 



Cueca Basic em tecido de poliéster, poliamida e elastano com propriedades de microfibra.

As roupas interiores fabricadas de microfibra são leves, adaptáveis e muito macias ao toque. Microfibra é uma fibra sintética extremamente fina, com uma espessura inferior a 1 denier. Normalmente, a microfibra é fabricada de poliéster ou poliamida. As cuecas em microfibra criam a sensação de uma segunda pele.


A malha pode ser confecionada com motivos, como a que usamos no nosso soutien desportivo Exhale.

Frequentemente, as costas dos soutiens são feitas de um material elástico com estrutura de rede, também conhecido como malha. Existem muitos tipos de malha, alguns mais fortes e outros mais macios. A malha proporciona um efeito de frescura e leveza. É habitual usar malha nos soutiens de desporto e nas costas dos soutiens comuns. A malha usada nos soutiens de desporto não absorve a humidade. Um outro material com estrutura de rede é o tecido powernet, frequentemente usado para forrar roupas interiores e vestuário de banho a fim de reforçar as peças. É, por exemplo, muito popular como reforço anterior nos bodies e nas cintas-cuecas.



Soutien t-shirt Confident com copas em material Spacer.

Um dos materiais mais interessantes e versáteis é o material Spacer, um tecido leve e arejado com uma estrutura formada por três camadas. A camada intermédia possui bolsas de ar que permitem a circulação de ar. As camadas externa e interna afastam do corpo o calor e a humidade. Um soutien com material Spacer oferece um bom suporte, formata o peito e proporciona uma sensação de frescura. O tecido Spacer usado na confeção de roupa interior é normalmente fabricado a partir de uma mistura de fibras de poliamida e poliéster.

Um outro material técnico com excelentes características para roupa interior é Keep Fresh, um tecido liso e flexível de poliamida e elastano muito agradável em contacto com a pele. É respirável e afasta do corpo a humidade sem criar a sensação de molhado, o que o torna ideal para roupa interior quotidiana e soutiens de desporto.

QUAL É O MELHOR MATERIAL?
Apenas você sabe qual é o material mais adequado para as suas necessidades. O melhor conselho que podemos dar é evitar a roupa interior de fraca qualidade, pois a satisfação que dão é fugaz pelo facto de se deterioram prematuramente. Há uma grande diferença entre as fibras sintéticas em termos de qualidade. Na Miss Mary, escolhemos a dedo os materiais nos principais fornecedores de tecidos para lingerie. Efetuamos ensaios de qualidade rigorosos com amostras de peças completas a fim de verificar o comportamento do material nas lavagens e durante o uso frequente. Os materiais que não correspondem aos nossos padrões de qualidade são rejeitados. Desde há mais de 60 anos que testamos diferentes tipos de materiais e atualizamos as nossas coleções continuamente, mantendo apenas os produtos mais procurados a fim de proporcionar as melhores ofertas possíveis às nossas clientes. 

O nosso serviço de atendimento responde a todas as questões sobre as nossas coleções, incluindo perguntas sobre tamanhos ou o corte dos soutiens. Ouvimos com atenção o que as clientes têm a dizer sobre os nossos produtos, quer sejam críticas ou elogios. É uma condição para continuarmos a oferecer a qualidade que as nossas clientes tanto desejam.

 

Adicionar novo comentário

Plain text

  • Não são permitidas tags HTML.
  • Endereços de páginas web e endereços de email são transformados automaticamente em ligações.
  • As linhas e os parágrafos quebram automaticamente.